IMG-20150825-WA0003

Facce patrocina competição de hipismo

A Facce Esquadrias de Alumínio em parceria com a Hípica Suzano patrocinou no último dia 23 de Agosto uma prova de hipismo. A prova aconteceu na própria hípica que fica localizada em Suzano, município da grande São Paulo próximo à região da Serra do Mar. A Prova contou com a participação de vários cavaleiros de diferentes regiões do Brasil. Para saber mais sobre os eventos na Hípica Suzano acesse www.hipicasuzano.com.br.

FACCE-4-dicas-para-melhor-aproveitamento-de-suas-esquadrias-799x400

4 dicas para melhor aproveitamento de suas esquadrias

Instalação

O vão de instalação deve ser aproximadamente, 2 a 5 centímetros maior que a janela ou porta a ser instalada. Levante as grapas (chumbadores) localizados nas laterais da peça. Encaixe a peça no vão e siga posicionando calços a fim de garantir seu nível e prumo. Confira se a peça esta no esquadro, se esta no nível e no prumo. Estique uma linha de ponta a ponta no peitoril para verificação e calce se necessário. Inicio o chumbamento das grapas e logo após a secagem, preencha os espaços entre a parede e o perfil. Somente remova a embalagem e corte as fitas quando a obra estiver finalizada. Cuidado! Cimento em contato com alumínio pode provocar manchas.

Transporte

Ao transportar uma esquadria é sempre importante mantê-las na posição vertical, encostadas na parte da frente da carroceria e fixando-as com as cordas.
Atenção: Jamais transporte as peças deitadas, nem coloque qualquer outro material sobre as esquadrias.

Armazenamento.

Para garantir a integridade da esquadria até a instalação, procure armazena-las em um lugar coberto livre de umidade. Durante o armazenamento nunca empilhe uma esquadria sobre a outra.

Limpeza

Nunca utilize fórmulas de detergentes com saponáceos, esponjas de aço ou qualquer outro material abrasivo, produtos ácidos ou alcalinos – sua aplicação pode causar aparecimento de manchas e tornar a pintura opaca.

FACCE-Historia-do-Aluminio-799x400

História do Alumínio

O alumínio é um metal leve, macio e resistente. Possui um aspecto cinza prateado e fosco, devido à fina camada de óxidos que se forma rapidamente quando exposto ao ar. O alumínio não é tóxico como metal, não-magnético, e não cria faíscas quando exposto à atrito. É muito maleável, muito dúctil, apto para a mecanização e fundição, além de ter uma excelente resistência à corrosão e durabilidade devido à camada protetora de óxido.

Tanto na Grécia como na Roma antigas se empregava a pedra-ume (do latim alumen ), um sal duplo de alumínio e potássio, como mordente em tinturaria e adstringente em medicina, uso ainda em vigor.

Geralmente é dado a Friedrich Wöhler o reconhecimento do isolamento do alumínio, fato que ocorreu em 1827, apesar de o metal ter sido obtido impuro alguns anos antes pelo físico e químico Hans Christian Ørsted.

Apesar do alumínio ser um metal encontrado em abundância na crosta terrestre (8,1%) raramente é encontrado livre. Suas aplicações industriais são relativamente recentes, sendo produzido em escala industrial a partir do final do século XIX. Quando foi descoberto verificou-se que a sua separação das rochas que o continham era extremamente difícil. Como consequência, durante algum tempo, foi considerado um metal precioso, mais valioso que o ouro. Com o avanço dos processos de obtenção os preços baixaram continuamente até colapsar em 1889, devido à descoberta anterior de um método simples de extração do metal. Atualmente, um dos fatores que estimulam o seu uso é a estabilidade do seu preço, provocada principalmente pela sua reciclagem.

A recuperação do metal a partir da reciclagem é uma prática conhecida desde o início do século XX. Entretanto, foi a partir da década de 1960 que o processo se generalizou, mais por razões ambientais do que econômicas.

Apesar do alumínio ser um metal encontrado em abundância na crosta terrestre (8,1%) raramente é encontrado livre. Suas aplicações industriais são relativamente recentes, sendo produzido em escala industrial a partir do final do século XIX. Quando foi descoberto verificou-se que a sua separação das rochas que o continham era extremamente difícil. Como consequência, durante algum tempo, foi considerado um metal precioso, mais valioso que o ouro. Com o avanço dos processos de obtenção os preços baixaram continuamente até colapsar em 1889, devido à descoberta anterior de um método simples de extração do metal. Atualmente, um dos fatores que estimulam o seu uso é a estabilidade do seu preço, provocada principalmente pela sua reciclagem.

A recuperação do metal a partir da reciclagem é uma prática conhecida desde o início do século XX. Entretanto, foi a partir da década de 1960 que o processo se generalizou, mais por razões ambientais do que econômicas.

Apesar do alumínio ser um metal encontrado em abundância na crosta terrestre (8,1%) raramente é encontrado livre. Suas aplicações industriais são relativamente recentes, sendo produzido em escala industrial a partir do final do século XIX. Quando foi descoberto verificou-se que a sua separação das rochas que o continham era extremamente difícil. Como consequência, durante algum tempo, foi considerado um metal precioso, mais valioso que o ouro. Com o avanço dos processos de obtenção os preços baixaram continuamente até colapsar em 1889, devido à descoberta anterior de um método simples de extração do metal. Atualmente, um dos fatores que estimulam o seu uso é a estabilidade do seu preço, provocada principalmente pela sua reciclagem.

 

A recuperação do metal a partir da reciclagem é uma prática conhecida desde o início do século XX. Entretanto, foi a partir da década de 1960 que o processo se generalizou, mais por razões ambientais do que econômicas.

Alguns usos do alumínio são:

 

– Meios de Transporte: Como elementos estruturais em aviões, barcos, automóveis, bicicletas, tanques, blindagens e outros.
– Embalagens: Papel de alumínio, latas, embalagens Tetra Pak e outras.
– Construção civil: Janelas, portas, divisórias, grades e outros.
– Bens de uso: Utensílios de cozinha, ferramentas e outros.
– Transmissão elétrica: Ainda que a condutibilidade elétrica do alumínio seja 60% menor que a do cobre, o seu uso em redes de transmissão elétricas é compensado pela seu menor custo e densidade, permitindo maior   distância entre as torres de transmissão.
– Como recipientes criogênicos até -200 °C e, no sentido oposto, para a fabricação de caldeiras.

Fonte (Wikipédia)

FACCE-Contra-marco-799x400

O que é contra-marco?

Um contra-marco é uma moldura em alumínio chumbada no vão onde a esquadria será fixada, seu papel principal é servir como gabarito para que o vão possa ser requadrado e as esquadrias possam ser fabricadas de acordo com a medida do vão “acabado”.

Depois do contra-marco instalado, as esquadrias podem ser fixadas na fase final da obra, lembrando que neste caso as esquadrias são colocadas no vão de fora para dentro, para que seja fixada no contra-marco.

A escolha correta de um contra-marco em uma obra é fundamental, através dele se fará a transmissão de cargas/esforços na fixação da esquadria para alvenaria. Serve também como referência interna e externa para possíveis acabamentos na alvenaria.